14 de agosto de 2015

Aqui, agora II

Serra do Caramulo II


















Gosto de uma serra para olhar,
porque quando olho para o alto
sinto-me pequena, insignificante
perante a perfeição da natureza.

Carrego cá dentro um desejo.
Um abrigo das tempestades
e não, um abrigo nas tempestades.
Enfim, desejo descansar...

Árvores também, para contemplar,
sua diversidade, sua singularidade,
suas flores, seus frutos,
sua natural simplicidade.

E o céu acima da minha cabeça
p'ra nunca esquecer de perguntar:
porquê durante o dia só um sol
e há noite tantas estrelas a brilhar?

E quando o vento, meu amigo,
por mim passar ele vai-me abraçar,
seja numa suave carícia,
seja de rajada p'ra me balançar.

E meus olhos vou fechar,
meus punhos cerrar
e meu peito acalmar,
porque, de verdade, eu sei...

Eu sei...

Que o caminho é muito longo...
Tão longo que são vidas inteiras
e mais vidas inteiras.
Até agente, de verdade,
aprender a amar...

Cristina, 10 de Julho de 2015

Minhas paixões

Quem me dera
ser eu capaz
de te resistir
oh paixão visceral

uivo da lua cheia
faro do predador
veneno de cobra
convulsão de dor

terramoto-inundação
erupção vulcânica
tsunami
vendaval-tufão

força da natureza
ritmo das estações
cordilheira dos Andes
chuva das Monções

dança do ventre
ciclo lunar
energia primitiva
origem-despertar

vem-afinal
já não quero resistir
afinal-agora
eu quero-te a ti

"Coisa estranha, o desejo de certos prazeres é uma parte de minha dor"_Gibran Kahlil Gibran do livro "Areia e Espuma", Aforismos Selecionados

Cartas para o meu amor III

Penso em ti
 e
ponho-me a pensar
...
não importa
de verdade
não importa mesmo
eu sei
mas
eu penso
...
quando estou só
comigo mesma
contemplando a natureza
sinto uma amorosidade
uma bastança
uma gratidão
até

quando estou só
comigo mesma
ou partilhando
com amigos do peito
as investidas do escopro da vida
eu fecho meus olhos
e sinto uma resignação
até
também

mas ainda assim
eu penso
eu penso em ti

nesse
um dia
qualquer

que eu esteja sentada
num penedo
à beira d'um riacho
escutando 
as suas águas silenciosas
e tendo-te como companhia
eu
saberei
que temos muito em comum

nesse
outro dia
qualquer

quando estivermos juntos
lado a lado
 os dois
deitados na relva
à beira d'um rio
escutando
suas águas correndo
eu saberei
que somos amigos

mas no dia

que olharmos juntos 
na mesma direcção
 de mãos dadas
e virmos no mar 
e no sol esplendoroso
esse oceano infinito
chamado amor

Aí eu saberei
saberei
que agente se ama
e
para qualquer onda
que se levante nesse mar
nós
estaremos juntos
lado a lado
de mãos dadas

é nisto que eu penso
quando penso em ti
...

6 de agosto de 2015

REC _ 1


SEMPRE

SEMPRE TE VOU ENXERGAR
SIMPLES
PORQUE TE AMO
E NO AMOR TUDO É CLARO

INFERNO
INFERNO É A ESCURIDÃO

SEMPRE TE IREI ESCUTAR
SIMPLES
PORQUE TE AMO
E NO AMOR CABEM TODAS AS PALAVRAS

INFERNO
INFERNO É SER MUDO E SURDO

SEMPRE VOU TER UM LUGAR P'RA TI
SIMPLES
PORQUE TE AMO
E NO AMOR CABEM TODOS OS LUGARES

INFERNO
INFERNO É NÃO AMAR

SEMPRE VIVEREI
SIMPLES
PORQUE EU AMO
E NO AMOR CABE A VERDADE

INFERNO
INFERNO É EXISTIR

APENAS